top of page

Bons hábitos transformam a vida



Tempo, disciplina, paciência e desejo são suficientes?

O que é um hábito?

Hábito é uma ação repetida por um período de tempo longo ou curto, que se torna rotina até ser incorporado por nós.

Mudar e adquirir novos hábitos pode ser uma tarefa mais desafiadora que imaginamos, principalmente quando tentamos realizar a mudança de forma repentina ou radical. O risco do fracasso na transição é grande.

Segundo a Duke University, em 2006, mais de 40% das ações que as pessoas realizam diariamente são hábitos. Hábitos também podem ser mudados se os entendermos. Cientistas explicam que os hábitos surgem porque o cérebro busca sempre novas formas de poupar esforço, transformando de forma natural qualquer rotina em hábito. Nosso cérebro também trabalha por recompensa sem reconhecer o que é um bom ou mal hábito.


Como construir e modificar hábitos?

Quanto mais repetimos uma atividade, mais nosso cérebro se adequa para se adaptar a ela. Porém, não basta a famosa força de vontade. Precisamos acionar mecanismos internos para que consigamos agir e realizar atividades que se transformarão em hábitos. Mudanças amedrontam. Remetem às perdas. Como exemplo, podemos citar o início de uma dieta alimentar (fome, carências e abandonar os alimentos que adoramos, mas que são nocivos à nossa saúde). Saber o que desejamos mudar requer autoconhecimento e estratégias para chegarmos ao objetivo.

Os hábitos podem ser físicos e emocionais, como as maneiras de agir diante de fatos, a capacidade de ouvir e observar, confiarmos mais em nós mesmos e no outro, exercitar a empatia, sermos mais flexíveis com nós mesmos e com a vida, encarar desafios com menor ou sem sofrimento.


Como a Naturopatia pode nos auxiliar a transformar hábitos para que possamos viver com mais qualidade e leveza?

Pelo equilíbrio do nosso corpo, das nossas emoções, do mental e da nossa energia vital teremos mais clareza e vigor para fazermos nossas transformações, principalmente considerando que há muitos que se encontram sem energia vital, emocionalmente desequilibrados e sem disposição para mudanças. O contato com a natureza, alimentação mais natural, horas repousantes de sono, hidratação, respeito ao nosso relógio biológico e atividades físicas são fundamentais.

A redução do estresse físico e emocional auxilia o cérebro, também na mudança de hábitos.

Práticas como a reflexologia podal, por exemplo, onde é possível “enviar comandos” pela planta dos pés (zona reflexa do corpo) para os órgãos respectivos, auxiliarão na melhora do sono, na redução das ansiedades e compulsões, melhora na circulação sanguínea, facilitando as conexões cerebrais.

A terapia floral é natural, sutil e eficiente no processo de autoconhecimento, melhorando autoestima, reduzindo medos e crenças, promovendo clareza, paz mental, trazendo coragem e disposição para que as transformações aconteçam naturalmente. As essências florais agem na causa e não apenas em sintomas e conduzem transformações em hábitos, padrões e crenças.

Outra prática natural mas que necessita acompanhamento profissional que pode ajudar no processo de mudança de hábitos, é a Fitoterapia. A Valeriana officinalis é indicada como sedativo natural moderado, melhorando o sono e atuando nos distúrbios de ansiedade. O Alecrim (Rosmarinus officinalis), muito utilizado em infusões ou em óleos essenciais, é rico em propriedades bioativas com ação diurética, diminui inchaços, melhora digestão e circulação sanguínea e trânsito intestinal. Seu óleo essencial é amplamente usado, desde a antiguidade, como auxiliar no foco e concentração, sendo conhecido como o “óleo do estudante”.


Nosso organismo é como uma orquestra: órgãos, vísceras, nosso emocional, tudo intrinsicamente interligado e dependentes uns dos outros para sua perfeita funcionalidade e nosso bem-estar. Portanto, para transformar hábitos, podemos também precisar de “ferramentas”. Mas antes de tudo, é necessário desejar e escolher transformar.


A Naturopatia, assim como as Práticas Integrativas Complementares, são complementares à Medicina convencional e também auxiliam na prevenção de doenças. Tratamentos médicos em andamento, não devem ser substituídos por tratamentos naturais, sem avaliação médica.


Texto: Fernanda Ornelas

Revisão técnica: Chris Buarque

Revisão geral: Cláudia Lopes


Fernanda é Naturopata e membro da Comunidade Brasileira de Naturopatia. Dedica-se à atividade clínica e ao estudo contínuo para a promoção da saúde e bem-estar.


Fontes de referência:

Livro “O poder do hábito”

Charles Duhigg, Ed Objetiva

Revista Vida Simples, Edição 255.

Σχόλια


bottom of page