top of page

Emoções em equilíbrio evitam a hipertensão arterial


A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) recebe destaque entre os fatores de risco cardiovascular em centenas de países e pode originar consequências graves para o coração, cérebro, rins e vasos sanguíneos, além de ser um grave problema de saúde pública, com altos custos em hospitalizações, incapacitação e aposentadorias precoces.

Também chamada de “pressão alta”, tem como característica a elevação dos níveis de tensão no sangue que ocorre quando as artérias perdem capacidade de contração e dilatação e o volume de sangue se torna alto, com velocidade e passagem de fluxo comprometidas.

No aspecto físico, observam-se fatores de risco como hereditariedade, faixa etária, obesidade, estresse, sedentarismo, álcool, sexo, uso de anticoncepcionais e alta ingestão de Sódio (sal em excesso nos alimentos).

Entretanto é possível evitar ou minimizar a HAS e tratá-la com a adoção de hábitos saudáveis, com um novo estilo de vida que favoreça também o estado mental.


O estresse emocional está, segundo estudos realizados (Spielberger e Moscoso 1996), associado com os fatores psicológicos de ansiedade e raiva.

Diversos autores se dedicam à busca de variáveis psicológicas que podem estar relacionadas ao estresse e ao papel das emoções na saúde e na reatividade cardiovascular a estas questões.

O tratamento da hipertensão arterial sistêmica exige trabalho multiprofissional que contemple os aspectos relacionados ao controle do estresse emocional e às características psicológicas de cada pessoa, sendo fundamental tratar a causa dos desequilíbrios emocionais.

Observa-se que nosso sistema respiratório é o responsável pela fluidez das nossas vidas e pela circulação de nossas ideias. Quando nos recusamos a enfrentar algumas situações, bloqueios podem surgir neste mesmo sistema.

Problemas não resolvidos, pelo excesso de atividades assumidas, preocupações e fugas podem agravar o quadro de hipertensão.


A Naturopatia como coadjuvante:

Muitas técnicas terapêuticas que constituem as Práticas Integrativas Complementares, a exemplo da Cromoterapia, podem ajudar às pessoas que sofrem com hipertensão arterial, com o uso das frequências das cores, como o verde que favorece ao equilíbrio emocional e o azul, que gera calma e tranquilidade.

O Reiki, ou imposição de mãos, também é uma importante técnica facilitadora para o equilíbrio do emocional induzindo à calma e "alinhamento" da nossa energia vital.

A Terapia Floral atua de forma sutil em padrões inconscientes despertando nossas virtudes. É auxiliar na transformação de emoções e sentimentos que desarmonizam a mente e consequentemente, nosso corpo físico.


Portanto, além de hábitos alimentares, exercícios físicos e tratamentos convencionais (em muitos casos já necessários) é vital tratar as emoções e desenvolver o autoconhecimento para enfrentar os desafios diários.

Texto: Fernanda Ornelas. Fernanda é Membro da Comunidade Brasileira de Naturopatia e do Comitê de Saúde. Dedica-se ao atendimento clínico na Naturopatia.

Revisão técnica: Chris Buarque

Revisão geral: Claudia Lopes


“ Cromoterapia, o segredo das cores “ 2017, Ed Vida e Consciência

“Metafísica da Saúde” , 2001 , Volume 2 Sistemas Circulatórios , Ed Vida e Consciência


Comments


bottom of page